Primeiro de quatro STANFLEX300 já atracou em Lisboa

O primeiro patrulha costeiro do tipo (projeto) STANFLEX300 chegou esta tarde a Lisboa proveniente da Dinamarca. Portugal encomendou 4 destas embarcações vindas da Marinha daquele país e espera receber a sua totalidade até 2016.
Chegou a Portugal a primeira de quatro embarcações de patrulha costeira do tipo STANFLEX300, adquiridas em segunda mão por Portugal à Dinamarca. O NRP Tejo deverá agora sofrer modernizações nos Estaleiros do Alfeite antes de entrar em operação.
 
O navio é visto pela Marinha Portuguesa como uma forma de reforçar a capacidade nas áreas da Fiscalização Marítima, busca e salvamento, combate à poluição e preservação do mar, colmatando assim a ausência de 7 patrulhas da classe Cacine abatidos devido ao desgaste excessivo dos longos anos de serviço.
 
Até 2016, a Marinha espera receber os restantes 3 navios, podendo assim afirmar melhor a sua presença na faixa costeira, área onde esta admite não ter meios para fazer, da melhor maneira, o que lhe compete.
 
Pelas imagens, tal como esperado, nota-se que as embarcações viram o seu armamento e sensores retirados, de modo a dar oportunidade à indústria nacional de os equipar mas também de forma a poupar custos, quer na sua compra quer na sua futura operação e manutenção. Isto porque embora os STANFLEX300 pareçam simples costeiros, a verdade é que na Dinamarca, estavam equipados com um canhão Oto Melara de 76mm (o mesmo usado nas Fragatas da Classe Bartolomeu Dias) e lançadores de mísseis e torpedos, o que o tornava um meio algo que temível num possível conflito. 
 
Na nossa antiga plataforma, o "Poder Militar Português", aquando da "cobertura" desta matéria, salientou-se o facto da embarcação poder vir equipada com algum do seu armamento, mas isto parece agora uma oportunidade distante a menos que o mesmo venha em pacotes separados. O "Portugal Defense News" entende portanto que tal possibilidade seria vantajosa para Portugal, sendo que tal como informa o Portal da Marinha, serão 4 patrulhas a substituir a ausência de 7.
 
Vale a pena dizer que o "STANFLEX" trata-se de um conceito onde  num navio se aplica a capacidade de ser adaptado o mais facilmente possível, de modo a cumprir a sua missão, o que significa, que com o armamento ou não, a embarcação sempre poderá ser rearmada mais tarde, conforme as necessidades futuras da Marinha. Informa-se também os nossos leitores que o STANFLEX300 trata-se de um dos modelos "STANFLEX", existindo também o de Patrulha Oceânica de maior porte, ao serviço da Dinamarca.
 
Fonte: Portal da Marinha
 
Texto: Portugal Defense News and global
 
 
 

Etiquetas

A lista de etiquetas está vazia.