Dessault poderá finalmente vir a acelerar a produção do Rafale

Com os recentes dois contratos assinados e com o possível terceiro por firmar, Dessault poderá acelerar a produção do moderno caça Rafale, que é o principal produto da indústria aeronáutica de defesa francesa.
O "CEO" da Dessault, Eric Trappier, disse ontem à imprensa, que graças aos recentes dois contratos com o Egipto e Catar para o fornecimento de 24 caças Rafale cada um, a produção da aeronave poderá vir a ser acelerada para um número superior às actuais 11 anualmente entregues. Isto se o esperado contrato com a Índia para a entrega inicial de 36 aviões, atrasado já durante vários anos, se venha a concretizar em breve.
Rafale C número 137 equipado com AESA na linha de produção - foto Dassault
 
O Director Executivo (CEO - DE) da empresa francesa, terá dito à Reuters quando questionado se a produção do Rafale seria aumentada devido às recentes aquisições, que "existe uma linha de produção, cuja cadência de entregas poderá ser aumentada caso o terceiro contrato com Índia seja finalizado".
 
Projecto estava até agora em risco
 
Os recentes acordos para venda dos aviões para estes dois países (Egipto e Catar), representam os primeiras 48 Rafale´s a serem exportados, o que permitirá aliviar os encargos do governo francês na continuidade do projecto Rafale que até agora era alimentado exclusivamente pelas entregas à França. Deste modo, os aviões vendidos irão pertencer aos já encomendados para o Armee de ´lAir (Exército do Ar - Força Aérea Francesa) que agora irá receber os seus mais "folgadamente".
 
Fonte/imagens: Reuters / vários / arquivo do PDN (Portugal Defense News and global)
Texto: Portugal Defense News... and Global
 
 
 

Etiquetas

A lista de etiquetas está vazia.