As sete inovações

Troante, Sub-Eco, Themis, Auxdefense, BMS&EMM, Andrómeda, Gamma-Ex, sete projectos que podem mudar drasticamente as Forças Armadas Portuguesas.

O Ministério da Defesa Nacional tem actualmente a decorrer 7 projectos de investigação que podem mudar drasticamente o modo de "fazer as coisas" nas Forças Armadas Portuguesas, um deles, visa projectar e fabricar, em Portugal, modernas fardas anti-impacto e de controlo térmico para os militares.
 
Ao que tudo indica, a ideologia de uma força mínima no sentido numérico mas maximizada na efectividade está agora a dar frutos e a ver horizontes cada vez mais modernos. 
 
Leopard 2A6 do Exército Português, uma das mais letais armas do arsenal nacional, será um dos equipamentos que beneficiará das "Sete inovações", nomeadamente a partir do "Projecto BMS&EMM"
 
Desde que as forças armadas começaram a ver finalmente novo equipamento e armamento que o objectivo foi reduzir o tamanho para que se pudesse padronizar em tecnologia e estar ao nível de excelência comparado aos parceiros da NATO/OTAN (Organização do Tratado Atlântico Norte) e é de facto, o que se tem visto: Os mais modernos submarinos, modernos helicópteros, caças modernizados com o melhor do software e hardware, bons tanques e muitas ideias e tentativas que teimam na lentidão de se concretizar, mas que vão dando os seus passos.
 
E não é só a velha ideia de comprar no estrangeiro, os militares parecem se convencer cada vez mais que com a evolução tecnológica seria demasiada ignorância não ter alguma independência na área, nos Estados Unidos, robôs humanóides ganham cada vez mais semelhança aos humanos no comprimento das suas tarefas (em laboratório) e as suas aplicações militares são claramente visíveis (ver vídeos no final da matéria). 
 
 
Do "Troante" ao "Gamma-Ex", todos terão o objectivo de inserir e dar vida à industria de defesa nacional e todos se encontram no nível sete do "Nivel de Prontidão Tecnológica" da Indústria, estando portanto em vias de terem continuidade operacional.
 

       1. Projecto Troante

 
  • O Projecto Troante tem como finalidade a maturidade no desenvolvimento e operacionalização de Drones aéreos (UAV`s) nacionais para fins industriais e militares. A Força Aérea, Exército, Marinha, o Instituto de Telecomunicações de Aveiro, a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, a PT Inovação e Sistemas e o CEIIA fazem parte do "Projecto Troante".
 
  •  Actualmente está em desenvolvimento um drone com 25 quilos desenhado para missões de reconhecimento, sendo      que outros mais pequenos já se encontram em testes operacionais. 

        2. Projecto Sub-Eco:

 
  • Desenvolver um sistema de monitorização e vigilância acústica da margem continental portuguesa, através da previsão de ruídos. A solução tanto pode ser usada para fins militares como para a análise ambiental de ecossistemas. O MDN financiou a totalidade do projecto, que está orçado em 1,19 milhões de euros. O projecto conta com a participação do Instituto Hidrográfico da Marinha e Força Aérea, Marsensing, e CINTAL. Tem uma duração de 39 meses.  
 
       3. Projecto Themis:
 
  • Desenvolvimento de um sistema integrado de decisão para missões humanitárias, que visa ligar as diferentes autoridades civis e militares.
 
 
       4. Projecto AuxDefense:
 
  • Desenhar e desenvolver uma nova geração de fardas resistentes ao impacto, deverão ser resistentes a cortes e determinadas perfurações a partir do uso de materiais auxéticos. Tem a participação das Força Aérea e Exército, da Tecminho e das empresas Leandor Manuel Araújo, Fibrauto, Latino Confecções, IDT Consulting e Sciencentris. 
 
       5. BMS&EMM:
 
  • Desenvolver uma plataforma de gestão de recursos e operações que deverá ser usada em tanques, blindados e pelotões de fuzileiros, e ainda uma plataforma de gestão para unidades de emergência e socorro. O projecto vai ser desenvolvido pela Critical Software, o CINAMIL, o CINAV, a Autoridade Marítima Nacional e o INESC-ID. 
 
       6. Projecto Andrómeda:
 
  • Tem por objectivo fazer evoluir o sistema de informação criado pelo projecto Perseus. Pretende desenvolver uma rede privada segura entre drones. Transmissão de vídeo em tempo real entre veículos voadores tripulados e não tripulados e navios e alargamento do alcance das comunicações também constam na lista de metas que deverão ser atingidas pelo Andrómeda durante os 30 meses de investigação. O MDN investe apenas 332 mil euros, que totalizam apenas 27% do projecto. 
 
       7. Projecto Gamma-Ex
 
  • Desenvolvimento de uma solução que recorre a veículos aéreos pilotados remotamente para a detecção de ameaças biológicas, químicas ou radiológicas, bem como atmosferas explosivas. I-SKYEX, Marinha e Exército, Instituto de Soldadura e Qualidade e Instituto Superior Técnico participam no projecto. Tem uma duração de 24 meses. O MDN investe 355 mil euros (93% do custo total). 
 
Fonte: Exame Informática // Portal do Ministério da Defesa (MDN) // arquivos próprios
Texto: Portugal Defense News...and global // e/ou adaptado 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Portugal Defense News... and global